#Brasilemgreve lidera interações online no Brasil

Relatório da FGV aponta Greve Geral como evento mais comentado da internet

A presença da mídia é cada vez mais central à política e à vida pública, ainda que grande parte dos estudos sobre a teoria democrática e a esfera pública desconsidere os meios de comunicação, como se eles não existissem ou como se sua influência não fosse suficientemente determinante para explicar fenômenos sociais, como a conexão pública, a participação e o engajamento dos cidadãos.

Com o advento e a popularização da internet, iniciaram-se as discussões em torno do potencial social, político e democrático da rede. A internet oferece maior variedade de informações, reduz os custos de participação política e permite que diferentes participantes possam se envolver no diálogo a partir da troca de e-mails, chats, grupos eletrônicos de discussão e comunidades virtuais, que estão criando plataformas importantes para a participação política.

O acesso à rede amplia as possibilidades de canais de uso de mídia, seja em relação ao consumo, produção, circulação ou recirculação de conteúdos midiáticos. Os veículos de comunicação, dos mais tradicionais aos mais tecnológicos e inovadores, são responsáveis por grande parte do conteúdo que informa os cidadãos brasileiros diariamente, exercendo, portanto, relevante papel na mediação da comunicação política.

Neste contexto, destacam-se as redes sociais, em particular o Twitter, que foi objeto de análise de recente estudo divulgado pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

A DAPP lançou relatório que aponta dados sobre a repercussão da greve geral realizada no dia 28 de abril. O levantamento mostra que o movimento de apoio à paralisação nas redes sociais foi a maior ação da oposição ao governo Temer em um ano.

Fonte: DAPP Report. Relatóri de Análise Estratégica de Redes Sociais, 2017.

O volume faz do evento o maior nas redes sociais nos últimos anos, superando inclusive os atos a favor do impeachment da presidenta Dilma Roussef, ocorridos em março de 2015 e março de 2016. A hashtag #BrasilemGreve dominou o movimento pró greve geral, com 326 mil menções até 17h​, com pico de 520 tuítes por minuto por volta de 12h. E, no fim da tarde, a hashtag de resposta #AGreveFracassou, chegou ao trending topics, com 28 mil menções até 17h ​- alcançando a média de 600 tuítes por minuto às 16h40.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: